Mitos e verdades sobre a vacina contra a gripe

Enquete realizada pelo Fleury Medicina e Saúde com 3889 pessoas indica que
cerca de 30% delas não tomaram a vacina contra gripe com medo de efeitos colaterais
ou porque não acreditavam na efetividade da imunização

Em março, a vacina contra gripe começa a ser oferecida pela rede privada à população. Apesar dos benefícios comprovados para a prevenção da doença, alguns mitos e dúvidas ainda rondam essa imunização, conforme demonstra uma enquete online realizada pelo Fleury Medicina e Saúde entre 6 de junho de 2011 e 16 de fevereiro de 2012, da qual participaram 3889 pessoas. Um terço dos internautas participantes respondeu que não tomou a vacina contra gripe no ano passado porque desconfia da sua efetividade ou acredita que poderia causar a doença ou algum efeito colateral.

Ainda de acordo com a enquete, 49,7% dos participantes informaram que tomam a vacina contra gripe há alguns anos e 17,5% só começaram a se imunizar contra o vírus influenza após a pandemia da gripe A H1N1 em 2009.

A gripe é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza, que pode provocar manifestações de moderada intensidade e, eventualmente, evoluir para quadros mais graves. A melhor forma de prevenção dessa doença é a vacinação, que deve ocorrer nos meses do outono. “Dessa forma, ao chegar o inverno, período de maior transmissão do vírus da gripe, o corpo já possui níveis de anticorpos suficientes para evitar a infecção pelos diferentes tipos de influenza contidos na vacina”, explica o infectologista do Fleury Medicina e Saúde, Celso Granato.

A seguir, o médico desmistifica alguns tabus sobre a vacina contra a gripe:

1) O que é a gripe?

Celso Granato: É uma infecção causada pelo vírus influenza. Acomete o trato respiratório e, diferentemente de outras viroses como o resfriado comum, por exemplo, produz sintomas mais intensos, como febre, mal-estar, coriza, obstrução nasal, dores musculares, dor de garganta e tosse seca. Como evolução da gripe, podem ocorrer manifestações mais graves, entre elas a pneumonia, principalmente em idosos, crianças menores de dois anos, gestantes e pessoas com alguma doença de base, com destaque para o diabetes, as doenças pulmonares e cardíacas crônicas, a obesidade mórbida e as imunodeficiências.

2) Como a gripe é transmitida?

Celso Granato: O vírus da gripe se dissemina por meio de gotículas de secreções respiratórias que são lançadas no ar durante as tosses ou os espirros, e a seguir são inaladas pelo indivíduo receptor. Também é adquirido pelo contato com as mãos contaminadas de quem está doente.

3) A vacina contra gripe pode causar a doença?

Celso Granato: Não. A vacina é elaborada a partir de uma mistura de partículas dos tipos dos vírus mais prevalentes no ano anterior, porém essas partículas estão inativas. Logo, não há vírus vivos no composto, de modo que não é possível sua multiplicação no organismo, causando a doença. É importante saber que, mesmo tomando a vacina, você pode ter infecções respiratórias. Nessas situações, tratam-se de outros vírus respiratórios não contemplados nessa vacina, mas que habitualmente provocam quadros clínicos mais brandos e com menor chance de complicações, como os resfriados comuns. Porém, isso não significa que a vacina não seja efetiva, e sim que você teve contato com outros agentes que não o influenza.

4) Quem deve se vacinar contra a gripe?

Celso Granato: Qualquer pessoa que queira, com idade acima de seis meses, pode ser vacinada, mas algumas apresentam alto risco de complicações da doença e por isso têm indicação absoluta:

 5) Quando eu devo tomar a vacina contra a gripe?

Celso Granato: O vírus da gripe sofre mutações com grande facilidade. Dessa forma, a vacina deve ser tomada anualmente, pois os componentes virais são modificados de acordo com as cepas virais que foram mais frequentes no ano anterior. A época ideal de se vacinar é durante o outono, até junho, para que os níveis de anticorpos estejam adequados quando chegar o inverno.

6) É importante se vacinar mesmo quando não há epidemia?

Celso Granato: Sim. O influenza circula todos os anos, e mesmo quando não há surgimento de uma nova variante do vírus e nem aumento do número de casos de gripe, como ocorreu em 2009, é possível adquirir a infecção. Vale lembrar que mesmo o influenza sazonal é capaz de causar doença grave, e não somente o tipo A H1N1 ou novas cepas que venham a surgir.

7) Existe alguma contraindicação a essa vacina?

Celso Granato: Sim. A vacina não deve ser feita em crianças menores de seis meses de vida e pessoas com história de alergia a ovo. Além disso, pessoas que tiveram ou apresentam doença de Guillan-Barré, também chamada de polirradiculoneurite ascendente, não devem tomar a vacina.

8 ) A vacina dói?

Celso Granato: A tolerância à dor varia de indivíduo para indivíduo. Geralmente, a aplicação é bem tolerada pelas pessoas. Uma minoria delas relata uma pequena dor muscular no local da aplicação alguns dias depois.

O Fleury Medicina e Saúde disponibiliza a vacina contra gripe.
Confira os locais e horários em www.fleury.com.br.

A4 COMUNICAÇÃO LTDA
Silvia Angerami
E-mail: silviaangerami@a4com.com.br
Fone: (11) 38974122

Tags:, ,

Nenhum Comentário Quero comentar!

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria